Seguidores

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

CARTA ABERTA AO LEITOR ELEITOR

Jardim São Paulo – AMERICANA (SP), sábado, 22 de outubro de 2011

Caro Irmão leitor e eleitor!

Tomo a liberdade de vir, através desta, a sua presença para apresentar-lhe minhas idéias de uma Campanha de Moralização da nossa Política Brasileira.
Sinto e percebo que o eleitor brasileiro tem aversão à Política e aos políticos a ponto de não suportar, quem quer que seja, tocar neste assunto, pois o considera altamente sujo e repugnante!

Porém, este mesmo eleitor nunca parou para pensar e refletir que a ignorando, se omitindo ou ficando indiferente, continuamos a depender dela para tudo.
Para mim, ela é como o dinheiro sem o qual ninguém vive num mundo capitalista! Em todo ano de Eleições, novos políticos têm de assumir a administração da União, dos Estados, dos Municípios.

Isso mesmo, a Política é apenas um instrumento como o dinheiro e como tal ela neutra. Com o dinheiro se pode comprar um pão para saciar a fome de alguém como pode comprar uma arma para lhe tirar a vida!

Da mesma forma é a Política que, como o dinheiro, pode ser aplicada para a corrupção, roubalheira e coisas escusas! Estou falando de política cientifica e de não política rasteira, mesquinha que se aplica para dar golpe.

O poder corruptível não está no instrumento, mas naquele que faz uso deste dele!

É o egoísmo, é a impunidade (falta de aplicação da lei) é o desconhecimento das Leis de Deus que regem a vida de que faz a pessoa deseducada, ignorante, o emprego destes instrumentos para praticar o mal.

Tenho plena convicção de que todos os faltosos, se não alcançados pelas leis dos homens, será inevitavelmente pelas Leis de Deus, porém, não podemos cruzar os braços esperando que os corruptos e corruptores sejam alcançados apenas ou unicamente pelas do Criador. Isso seriam omissão e indiferença de nossa parte!

Estou há algum tempo empenhado num trabalho de conscientização política do voto consciente. Pois só o voto consciente da maioria que fará justiça social para todos!

Não se trata de Política Partidária, mas de Política científica como Instrumento norteador e a serviço da Democracia.

Acredito e estou convicto de que só o voto consciente (maioria) pode melhorar as condições de vida da sociedade na qual vivemos e isso é dever e obrigação de todo cidadão esclarecido, indiferentemente de credo, opções filosóficas ou de classe social, pois a Política, na sua essência, segundo penso, é como o Estado, ou seja, é laica, isenta de partidarismos, religião ou ideologias coisas que são apenas opções pessoais individuais.

A administração de nossa sociedade ou país deve ser de responsabilidades de todos sem exceção. O nosso maior equívoco é pura e simplesmente a omissão e a indiferença diante daquilo que é nosso dever!

Repito! a Política é como o dinheiro: um instrumento.
Portanto de vital importância, pois ninguém (a não ser os alienados mentais) consegue tirá-la do seu caminho ou de sua vida.

Como o dinheiro, também, ela pode ser empregado na prática do mal ou do bem, dependendo de quem a tem nas mãos.

A política não é uma coisa suja e vergonhosa. A sujeira está na mente de quem a usa e não conhece seu valor e o seu emprego para o bem!...

Apresento esta carta como pura simples sugestão! E qualquer que for a reação de quem dela tomar conhecimento (minhas idéias), estou de pleno acordo!
Caso queira interagir,escreva:
milton@camara-americana.sp.gov.br ou
milton3012@gmail.com
–Muita paz, bem e luzes espirituais nos caminhos de todos.
Milton José de Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário